Eu tô ficando é velho, não é doido não!

idades, crise, felicidades, prazeres, tempo e 30 anos.

13 DE SETEMBRO

noize

Quem diria que eu já tenho história para contar que começa com a seguinte frase “há dez anos atrás…”? Pois eu tenho e é essa que eu vou contar agora.

Há exatos 10 anos atrás, amanhã, no dia 13 de setembro de 2004, eu tive uma madrugada que mudaria minha vida para sempre. Um previously desse dia: minha avó tinha morrido há poucos meses e eu e minha família estávamos bastante abalados ainda; eu pegava minha primeira greve na universidade já fazia um mês e nem expectativa dela acabar; por isso eu fui fazer uma viagem a Salvador para assistir à ordenação de um amigo que se tornou padre e na ida de Teresina para lá, de ônibus, fomos assaltados com direito a tiro acertando o vidro atrás da minha cabeça; de lá eu fui para Recife, onde fui para a formatura de uma prima.

Quando voltei para casa, havia uma estrutura sendo erguida ao lado do Teresina Shopping em que iria acontecer o Circuito Cultural Banco do Brasil com uma programação inteiramente nova para uma cidade como a minha. Os eventos anteriores tinham apenas shows à noite no Teatro 4 de Setembro, mas naquele ano teria peças com a Bette Goulart e um bate papo com a atriz, aulas de mímica e, claro, os shows com especial atenção para o do Ney Matogrosso com Pedro Luís e a Parede. O show teria duas apresentações, no sábado e no domingo, e eu comprei logo a minha entrada para o sábado, dia combinado com toda a família. Durante a semana eu participei da aula de mímica porque tinha uma leve desconfiança que eu tinha algum talento interpretando e acabei descobrindo que sou muito bom com as palavras (ditas e escritas), mas para dizer alguma coisa com o corpo, sou uma negação. Fui o único aluno a levar pito do professor. Tudo bem, no final o saldo foi positivo, pois acabei conhecendo uma menina super legal, Juliana Alves.

Eu e a Ju no carnaval de 2009.

Eu e a Ju no carnaval de 2009.

Bom, então toda a minha atenção se virou para esperar o dia que eu veria o Ney e cantaria com ele Mulher Barriguda, Assim assado e Noite severina. Quando foi no sábado, uma tia me ligou e pediu para que eu trocasse com ela meu ingresso, pois só havia conseguido comprar para o domingo e todo mundo iria no outro dia. “Afinal, tu é solteiro e jovem, deve ter algum amigo que vai pra esse show amanhã” – relembrando sempre que a vida dos solteiros é uma eterna festa e que se você não tem um relacionamento, nenhum outro compromisso te prende a nada, segundo o pensamento de um monte de gente casada. Mas ok, troquei. Após alguns scraps do Orkut – percebam o contexto temporal da situação -, descobri dois amigos que iriam para o show naquele dia: A Luana e Manuel.

Tinha acabado de tirar minha carteira de motorista e esta foi uma das primeiras noites que eu saí de carro sozinho, então imaginem como eu estava excitado. Cheguei no local, encontrei a moga (traduzindo: maior galera, mó galera) e com pouco tempo revejo a Juliana e, qual não foi minha surpresa, ela conhecia a Luana. Ambas já haviam ficado com um mesmo cara e as mulheres que ficavam com ele formavam meio que um clube de conhecidas, uma situação muito interessante. Nesta noite a Ju não estava sozinha, com ela se encontrava outro trio: Aline, Leonardo e Igor.

Passamos o show juntos, mas com a Juliana no meio. Todo mundo se olhando, no entanto com os grupos muito bem definidos. O show foi lindo, todos já meio que conheciam o cd e cada um tinha sua música favorita que cantou forte quando ela era executada. Ney, como era de se esperar, foi espetacular cantando e suando em bicas, rebolando semi nu para as tias, vovós e tios também da plateia. Quando tudo acabou, umas 11 e tanto, Ju disse para os dois grupos:

– Gente, daqui a pouco é dia 13, meu aniversário, e eu estou indo ali comemorar no Caneleiro. Vai uma galera daqui do show. Bora?

cd-ney-matogrosso-pedro-luis-ea-parede-vagabundo-novo-13908-MLB4160976893_042013-F

Éramos todos universitários da Ufpi e estávamos de greve. No dia seguinte seria segunda-feira, mas não fazia diferença nenhuma nas nossas vidas. Topamos!

Quando chegamos no lugar, logo deu meia noite e chegou o dia 13 de setembro. Neste dia começava o que seria o seriado da minha vida adulta. Naquela noite tomei meu primeiro porre e voltei dirigindo para casa – na época não era crime –, o que me deixou com uma forte vontade de vê-los de novo. Que felicidade não foi ao descobrir que a vontade não era só minha, mas sêxtupla.

Depois desse dia passamos a definir nossa história como uma mistura de: Heroes, Friends, Lost, Will & Grace, America´s next Top Model, Twin Peaks e Desperate Housewives. Nesses dez anos tantos personagens saíram, tantos chegaram, tantos voltaram. Uns partiram, mas nunca se foram totalmente, graças a Deus. Gente que era personagem principal, passou a coadjuvante até ser totalmente excluído da série. Teve quem nasceu, outros morreram, outros a gente fez de tudo para que morressem e nada. O roteirista da nossa série era bom demais e não se deixa levar por pressões de audiência. Inclusive, não vou citar o nome de todos os envolvidos pois poderia ser injusto e aqui eu pego carona numa fala da Luana que eu retiro do seu contexto original, mas cabe perfeitamente: Quem faz parte da série, sabe que faz parte. Não precisa dizer quem é.

Houve brigas, bebedeiras, festas, batidas de carro, Mercearia, aborto, piadas, mortes, dores profundas e felicidades infinitas. E a trilha sonora desses dez anos? Que trilha! Quando alguém quer lembrar de uma música que foi importante em algum momento, diz isso da seguinte forma: Essa música é a cara de tal temporada. Tudo isso é apenas para facilitar quando tentamos puxar na memória.

Hoje, à meia noite, completa 10 anos daquele encontro. E é aniversário da Juliana de novo! Talvez o seriado já tenha tido seu season finale. Talvez tenham personagens que ganharam seriados próprios. Mas é impossível – impossível – não voltar àquela noite se toca alguma música do cd Vagabundo do Ney.

BONUS TRACK: a trilha sonora do show do Ney Matogrosso e Pedro Luís e a Parede. É só dar o play aqui (link).

Anúncios

Um comentário em “13 DE SETEMBRO

  1. Ana Carolina
    4 de março de 2016

    nossa!eu tb fui p esse show…foi lindo!!

    Curtir

Deixe sua opinião

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Informação

Publicado às 12 de setembro de 2014 por em Família, História, Humor, Memórias e marcado , , , , .
%d blogueiros gostam disto: